quarta-feira, 8 de abril de 2015

Silêncio

Por: Raquel Morelli(Publicado originalmente no blog DEAR BOOK

Ela gostou dele por muito tempo. Ela era uma menina e ele não era tão menino assim, pois já tinha um "Q" de homem. Ele era, para ela, um príncipe, um Deus, um amor.
Mas logo ele deixou de ser tudo isso e passou a ser a vida dela. Durante longos anos, ele foi a vida dela. Onde quer que ela fosse, carregava-o em pensamento.
Qualquer lugar que ele aparecesse de repente, ficava mais colorido com sua presença.
Ela realmente o amou muito. Mas amou sozinha, em segredo. Durante muito tempo, esse amor só existia em sua cabeça e em seu coração, que nunca exigiu retribuições da parte dele.
Por ter amado tento tempo assim, sozinha, imaginem o quão forte esse sentimento era.
Difícil fazer a cabeça se esquecer de alguém com quem o coração ficou tão acostumado. Difícil se esquecer de alguém que fora completamente idealizado.
Foi difícil para ela entender que, uma hora, o coração teria que guardá-lo no peito, em silêncio. Mas, para ela, o silêncio sempre existiu.

Nenhum comentário :

Postar um comentário